(In)Segurança Alimentar: O Caso Habib´s

Nesta última quarta-feira, 10 de setembro de 2014, o restaurante da rede de fast-food Habib’s da Avenida Norte-Sul, em Campinas (SP), foi interditado pela Vigilância Sanitária. Segundo a assessoria de imprensa do órgão da saúde municipal, o estabelecimento foi fechado devido à venda de produtos fora do prazo de validade, condições de higiene precárias e manipulação inadequada de alimentos.

Entenda por que essa interdição ocorreu.

A produção e comercialização de alimento seguro, livre de contaminação e adequado para consumo é exigida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão responsável pela proteção da saúde no nosso país.

Diante desse fato, vamos refletir sobre os aspectos básicos para segurança dos alimentos que são determinados na legislação sanitária:

Controle de validade de produtos

Os estabelecimentos devem verificar o prazo de validade dos alimentos desde a compra/recebimento do produto até a entrega para o consumidor. Isso demanda uma análise minuciosa na compra e/ou recebimento de produtos, selecionando aqueles que se encontram dentro do prazo de validade e rejeitando aqueles com prazo vencido. O controle, organização e rotatividade de estoque de produtos também devem ser considerados, para que sejam utilizados primeiramente os produtos com prazo de validade mais próximo e para que sejam identificados e descartados os produtos com prazo vencido, evitando a sua utilização por engano. Os produtos prontos para consumo também devem ter o seu prazo de validade monitorado

Condições de higiene

Os estabelecimentos devem garantir condições adequadas de higiene de suas instalações, equipamento, móveis e utensílios, por meio de um programa de higienização do ambiente, estabelecendo a periodicidade de higienização, técnicas e produtos utilizados e determinando os responsáveis por cada atividade. Além disso, deve ser feito o controle de pragas, do lixo/resíduos e da potabilidade da água utilizada no estabelecimento. Tudo isso para garantir que as condições do ambiente não tragam risco de contaminação ao alimento.

Manipulação de alimentos

As pessoas que manipulam alimentos devem ter boas condições de saúde e higiene. Os estabelecimentos são responsáveis por supervisionar e capacitar periodicamente seus funcionários em higiene pessoal, manipulação higiênica dos alimentos e em doenças transmitidas por alimentos. As atitudes das pessoas que manipulam os alimentos são determinantes na produção e distribuição de alimentos seguros.

O cumprimento desses aspectos da legislação sanitária poderia ter evitado que o restaurante fosse interditado. Segundo a Vigilância, o local permanecerá fechado até que sejam feitas todas as adequações, até porque seria inviável realizá-las com o restaurante em funcionamento. O gerente foi preso em flagrante e o restaurante ainda corre risco de ser multado.
Esse fato serve de alerta para que todos os estabelecimentos de alimentos. Garantir a segurança dos alimentos fornecidos aos consumidores representa não apenas um diferencial no mercado, mas também um cumprimento de uma obrigatoriedade legal.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2014/09/restaurante-fast-food-e-interditado-pela-vigilancia-sanitaria-em-campinas.html.

Últimos posts por Natália Mafra (exibir todos)