PBQP-H e o Minha Casa Minha Vida

Construção civil não é para os fracos.

Risco e lucro andam juntos e poucos setores tem tanta oportunidade de crescimento quanto a construção civil.

Com o programa Minha Casa Minha Vida o governo federal está disponibilizando recursos para a construção e espera que 4 milhões e 600 mil casas sejam construídas nos próximos anos.

Essa pode ser a oportunidade ideal para sua empresa crescer. Você está preparado para aproveitá-la?

O programa minha casa minha vida é dividido em faixas, relacionadas a capacidade de pagamento dos compradores dos imóveis. Vamos ver como funciona a primeira faixa de incentivo para famílias com renda de 0 a 3 salários mínimos.

MCMV 0 a 3 salários mínimos

Os maiores incentivos são voltados ao público de renda familiar de até 3 salários mínimos. Os beneficiados pagam parcelas que representam 10% da renda familiar bruta, com valor mínimo de 50 reais mensais em 10 anos. O restante é pago pelo governo.

Nessa faixa a construtora não vai a mercado: o cliente é a própria Caixa, que comercializa as habitações.

Bom para quem constrói, já que o risco de inadimplência é zero. O terreno é pago a vista e os recursos para as obras são liberados mediante a execução das etapas.

A construção de imóveis de baixa renda exige experiência e organização. O projeto tem que ser bem elaborado e seguido a risca, caso contrário o lucro pode vazar pelos seus dedos.

Por exemplo, em um projeto de construção de mil casas, 10 pregos, ou 2 metros de fio perdidos por casa tem um impacto enorme nas contas finais. Se a empresa tiver problemas para entregar os imóveis, ela pode não ter recursos para arcar as despesas jurídicas e as multas aplicadas pelo orgão financiador.

Como funciona o Minha Casa Minha Vida 0 a 3

As construtoras apresentam projetos às superintendências regionais da CAIXA, podendo fazê-los em parceria com estados, municípios, cooperativas, movimentos sociais ou independentemente.

Após análise simplificada, a CAIXA contrata a operação, acompanha a execução da obra pela construtora, libera recursos conforme cronograma e, concluído o empreendimento, realiza a sua comercialização.

Talvez você ache que este é um negócio para construtoras maiores, e pode ser que você esteja certo. Mas todo mundo tem que começar por algum lugar, e a segunda faixa do programa pode ser ideal para você.

MCMV 3 a 10 salários mínimos

As famílias com renda acima de 3 e até 6 salários mínimos contam com um subsídio substancial nos financiamentos com recursos do FGTS.

Aquelas com renda acima de 6 e até 10 salários mínimos tem custos reduzidos de seguro e acesso ao Fundo Garantidor da Habitação.

Os incentivos não são apenas para o comprador. Quem constrói para esta faixa tem pode financiar 100% da obra com taxas de juros mais atraentes. Por exemplo, em um financiamento de 1 milhão de reais, a redução de 0,5% da taxa de juros pode gerar uma economia de 35 mil reais por ano. Mais dinheiro em caixa para você.

A comercialização é facil, e segurada pelo governo
Quem constrói para esta faixa é responsável pela comercialização das habitações. O governo subsidia parte do valor, facilita o acesso a crédito e garante o pagamento das parcelas caso a família beneficiada tenha problemas, diminuindo muito o risco de inadimplência.

Mercado aquecido
Vale a pena lembrar que essa faixa abrange um público muito grande, cujo desejo pela casa própria é cada vez maior. Os imóveis são vendidos com facilidade e o retorno sobre o investimento é rápido.

Como funciona o Minha Casa Minha Vida 6 a 10

  1. União e FGTS alocam recursos por área do território nacional, sujeitos a revisão periódica.
  2. Construtoras apresentam projetos de empreendimentos às superintendências regionais da CAIXA.
  3. A CAIXA realiza pré-análise e autoriza o lançamento e comercialização.
  4. Após conclusão da análise e comprovação da comercialização mínima exigida, é assinado o Contrato de Financiamento à Produção.
  5. Durante a obra a CAIXA financia o mutuário pessoa física e o montante é abatido da dívida da construtora.
  6. Os recursos são liberados conforme cronograma, após vistorias realizadas pela CAIXA.
  7. Concluído o empreendimento, a construtora entrega as unidades aos mutuários.

Para participar você precisa do GERIC e do PBQP-H

Para ter acesso a esses incentivos você deverá provar que tem capacidade técnica, administrativa e financeira para cumprir o que foi acordado. A análise de crédito da Caixa é conhecida como GERIC. O sistema de gestão que garante a qualidade da obra é o PBQP-H.

Veremos a seguir que a exigência é grande, mas os benefícios superam o esforço da implementação.

Ricardo Tocha

Ricardo Tocha

Ricardo Tocha tem 17 anos de experiência prática com internet e muitas cartas na manga. Atualmente usa tudo que aprendeu sobre marketing online para construir seus próprios negócios online. Também presta consultoria estratégica e técnica para empresários e profissionais de marketing e vendas cansados de investir em ações fragmentadas. Visite seu site para saber mais.
Ricardo Tocha
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *