PBQP H Nível A

Roma não foi construída em um dia. A implantação do PBQP H também não. Os níveis de adesão ditam os prazos para aplicação dos requisitos do programa.

O governo criou níveis de adesão para estimular o crescimento do programa

O PBQP H é um programa para estimular o desenvolvimento do setor da construção civil. Em termos práticos, o governo facilita o acesso à crédito e, em contrapartida, as construtoras melhoram sua operação e a qualidade das suas construções. As regras do jogo estão descritas no SiAC (se você chegou agora, o SiAC é um sistema de gestão da qualidade, baseado na ISO 9001, adaptado para a construção civil).

O problema é que implementar um SGQ (sistema de gestão da qualidade) leva tempo. A média de implementação do PBQP-H com a Templum consultoria é de 7 meses. Sem a orientação adequada esse processo pode levar muito mais.

A boa notícia é que você não precisa esperar esse tempo para ter acesso aos incentivos do programa. Com a carta de adesão aprovada pelo SiAC você já pode participar do Minha Casa Minha Vida e se beneficiar das linhas de crédito do programa. ( A Templum tem o caminho das pedras para a certificação PBQP-H, fale com a gente ;D )

Após a adesão a empresa tem um prazo para implementar o SGQ. É aí que entram os níveis A e B do PBQP H.

PBQP H Nível A – A empresa obtém a certificação ao implementar 100% do SGQ.

Todas as empresas devem ter o PBQP H nível A para continuar no programa. O nível B é apenas uma forma da sua empresa ganhar tempo. Funciona assim:

  • após a adesão a empresa tem 1 ano para implementar o PBQP-H;
  • se você conseguir implementar 100% dos requisitos normativos e controlar 100% dos serviços e materiais da sua obra, parabéns, você pode pleitear a certificação nível A do PBQP-H;
  • se isso for muito difícil para você, você ainda pode obter o nível B e ganhar mais 1 ano de prazo. No nível B alguns itens normativos não são obrigatórios e o controle de materiais e serviços é mais flexível.

No PBQP H nível B alguns itens normativos não são mandatórios

São eles:

  • 7.2.3 Comunicação com o cliente
  • 7.3.1 Planejamento da elaboração do projeto
  • 7.3.2 Entradas do projeto
  • 7.3.3 Saídas de projeto
  • 7.3.4 Análise crítica de projeto
  • 7.3.5 Verificação de projeto
  • 7.3.6 Validação de projeto
  • 7.3.7 Controle de alterações de projeto
  • 7.5.2 validação de processos
  • 7.5.4 Propriedade de cliente
  • 8.2.3 Medição e Monitoramento de Processos
  • 8.5.3 Ação preventiva

No nível B o controle de serviços e materiais é menor

Enquanto o nível A exige o controle de 100% dos serviços e materiais, o nível B exige o controle de 40% dos serviços e 50% dos materiais. O controle de serviços e materiais é tratado em detalhe no Guia de Soluções de Problemas do PBQP-H desenvolvido pela Templum Consultoria.

Você pode estar perdendo dinheiro e não sabe

Vale a pena partir direto para o nível A, já que ele é obrigatório para a empresa se manter no programa. O nível B é só um jeito de ganhar tempo. O que vemos na prática é que obter o nível A não é muito mais difícil do que o nível B. Além disso, implementar com rapidez sai muito mais barato, pois, com o SGQ 100% em operação a empresa passa a economizar dinheiro.

Fale agora mesmo com um especialista da Templum Consultoria para saber o quanto você pode ganhar implementando o PBQP-H.

Ricardo Tocha

Ricardo Tocha

Ricardo Tocha tem 17 anos de experiência prática e atuou na Templum Consultoria criando conteúdo, desenvolvendo sites e outros apetrechos tecnológicos.
Ricardo Tocha