Segurança dos alimentos: não basta ser gostoso, deve ter qualidade.

22000

Foi-se o tempo em que as empresas se atinham somente ao sabor do alimento quando iam a um restaurante, supermercado, açougue ou qualquer empresa responsável pelo segmento de alimentação.

Nos tempos atuais, o consumidor aumentou significativamente sua preocupação com os alimentos consumidos por ele mesmo.

Um dos motivos das pessoas se aterem tanto ao assunto de segurança alimentar emerge dos escândalos mundiais envolvendo o tema. Um exemplo catastrófico, que chocou o mundo no ano de 2008, foi a comercialização de leite em pó com altos índices de melamina – produto químico usado na indústria do plástico e na fabricação de cola ou resina – para alimentação de bebês na China. Na época, registraram-se danos à saúde de aproximadamente 53.000 crianças causados pelo consumo do leite.

Obviamente, a preocupação com a segurança dos alimentos, a fim de evitar desastres desta natureza, é fundamental, porém há outros motivos para se afligir com a qualidade dos alimentos.

Os empresários do setor alimentício devem sempre estar atentos ao aumento da qualidade tanto de seu produto final, como de todo o seu processo produtivo.

Mas, enfim, o que realmente significa a expressão “qualidade em produtos e serviços alimentícios”?

A expressão em questão está associada a quatro critérios fundamentais: i) aspectos dos alimentos, diz respeito à sua composição nutricional; ii) segurança, ou seja, condições sanitárias e higiênicas; iii) serviço, isto está relacionado à conexão entre cliente e fornecedor; iv) preço¹.

Oferecer um produto ou serviço alimentar de qualidade envolve alguns desafios. Como o gestor de um negócio pode superá-los? Através de boas práticas de gestão! E, para isto, existe a ISO 22000.

Em poucas palavras, essa norma auxilia os gestores do ramo de alimentos, independentemente do tipo de empresa, a oferecer produtos e serviços alimentícios de qualidade. Isto se da através de requisitos, como monitoramento da produção e o conceito de rastreabilidade, este último, significando o controle de “tudo que entra e sai da empresa”, podendo ser matéria-prima da produção, bem como o produto acabado e entregue ao consumidor final¹.

Para finalizar, vejamos o relato da implementação da ISO 22000 em um estudo de caso realizado em uma empresa romena de produtos lácteos². Com a efetivação da ISO 22000, o autor da pesquisa relata alguns benefícios ocorridos na companhia, dentre eles:

  • O reconhecimento oficial da capacidade da empresa de produzir, distribuir e vender alimentos seguros para os consumidores;
  • Qualificação como produtora de mercadorias lácteas;
  • Garantir o cumprimento da legislação fiscalizadora;
  • Melhoria na imagem perante o mercado;
  • Ganhos competitivos face aos concorrentes;
  • Maior motivação da equipe de trabalho;
  • Aumento da confiança dos consumidores nos produtos.

A implementação da certificação ISO 22000 é capaz de levar a empresa do ramo alimentício a outro patamar, uma vez que a competitividade entre as companhias e a abertura de novos mercados devido à globalização exigem dos gestores novas atitudes e ações para manter a instituição gerando retornos necessários.

Referências:

¹ SANTOS, Laura Lyra et al. Food service compliance with ISO 14001 and ISO 22000. Revista de Nutrição, v. 25, n. 3, p. 373-380, 2012.

² NEACSU, Nicoleta Andreea. Implementation of ISO 22000-a tool to increase business efficiency and customer satisfaction. A Case Study: SC Prodlacta Brasov. Bulletin of the Transilvania University of Brasov. Economic Sciences. Series V, v. 8, n. 2, p. 105, 2015.

2 respostas
  1. Guilherme Moreira says:

    Boa tarde Guilherme,

    Gostaria de fazer duas pequenas sugestões ao seu texto:

    1- A contaminação do leite em pó foi com melamina (produto químico) e não melanina, que é um hormônio.

    2- O conceito de segurança alimentar não está sendo usado da maneira mais adequada. Te recomendo verificar http://foodsafetybrazil.org/seguranca-de-alimentos-ou-seguranca-alimentar/ ou https://gustavoars.wordpress.com/2010/05/01/voce-sabe-qual-a-diferenca-entre-seguranca-de-alimentos-e-seguranca-alimentar/

    Um abraço,

    Responder
    • Guilherme Alonço
      Guilherme Alonço says:

      Olá Guilherme, tudo bem?

      Gostaria de agradecer imensamente as suas considerações.

      O primeiro problema foi um erro de digitação, sendo assim já foi corrigido. Muito obrigado, pois não tinha percebido o erro.

      Sobre a segunda consideração, concordo plenamente que faltou um aprofundamento a mais nas definições dos termos mencionados. Porém, o texto escrito é muito abrangente e não teve por intensão realizar este estudo mais detalhado. Com certeza, sua sugestão será utilizada para um futuro texto no blog.

      Um grande abraço.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *