Patricia Moyano
Por Patricia Moyano

Qual é a diferença entre os programas do GFSI (FSSC, IFS, BRC)?

Nas últimas décadas, inúmeras notícias difundidas sobre alimentos contaminados têm desgastado a confiança dos consumidores na indústria de alimentos em geral no mundo todo.
Para recuperar a confiabilidade em constante queda, os varejistas começaram a auditar seus fornecedores para garantir que eles atendiam os requisitos de segurança de alimentos. Essa prática se propagou tão rápido que em muitas ocasiões os fornecedores eram auditados repetidamente por diferentes varejistas, com diferentes critérios e procedimentos de auditoria.


Tempo de Leitura: 3 minutos

Nas últimas décadas, inúmeras notícias difundidas sobre alimentos contaminados têm desgastado a confiança dos consumidores na indústria de alimentos em geral no mundo todo. E entender qual a diferença entre os programas do GFSI é essencial para compreender a sua importância para a Segurança dos Alimentos.

A fim de recuperar a confiabilidade em constante queda, os varejistas começaram a auditar seus fornecedores para garantir que eles atendiam os requisitos de segurança de alimentos. Essa prática se propagou tão rápido que em muitas ocasiões os fornecedores eram auditados repetidamente por diferentes varejistas, com diferentes critérios e procedimentos de auditoria.

Isso gerava uma correria interminável dos fabricantes para se manter qualificados por clientes com exigências e opiniões das mais diversas. Por exemplo, se a empresa exportava um produto para redes de supermercado na Inglaterra, nos Países Baixos e na Alemanha provavelmente teria que atender requisitos de 3 ou mais programas diferentes.

A GFSI

Foi assim que no ano 2000 foi criada a Global Food Safety Initiative (GFSI). Assim, com o propósito de definir os requisitos para avaliar comparativamente os diferentes programas de certificação em segurança dos alimentos. A partir dessa avaliação foram reconhecidos pelo GFSI uma dúzia de programas de certificação. Ao passo que, dos quais os mais comumente adotados pelos fabricantes são FSSC, BRC e IFS.

O benefício para as empresas certificadas em esses programas reconhecidos pelo GFSI é a maior chances de ser aprovados para fornecedor a varejistas e/ou grandes organizações pela confiança que eles concedem.

Cada um dos programas mais populares tem uma origem e particularidades que devem ser consideradas no momento da escolha e no planejamento da implementação. Por exemplo:

O Consórcio do Varejo Britânico ou BRC (British Retail Consortium)

É o organismo líder de comércio para os varejistas do Reino Unido. Foi desenvolvida com o objetivo de especificar a segurança, qualidade e critérios operacionais exigidos aos fabricantes de alimentos. Uma das características mais relevantes é que a BRC é uma norma mais descritiva que outras, ou seja, não somente detalha o que deve ser cumprido, se não que também inclui informações de como deve ser cumprido.

A Certificação de Sistemas de segurança de alimentos ou FSSC 22000 (Food Safety System Certification)

Sendo pertencente à Fundação para a Certificação da Segurança de Alimentos com sede na Holanda, combina a Norma de Gestão de Segurança de Alimentos ISO 22000 com as especificações técnicas dos programas de pré-requisitos e outros requisitos adicionais do esquema de certificação. A FSSC foi criada em 2009 após a negativa na aprovação pelo GFSI da ISO 22000, devido às fragilidades nos conteúdos dos programas de pré-requisitos (PPR) que a norma isolada apresenta.

A norma Internacional de Padrão de Alimentos, ou IFS (International Featured Standards)

Assim, foi desenvolvida originalmente pela associação de varejistas alemães para servir como alternativa à norma BRC. Atualmente, todos os maiores varejistas da Alemanha, França, Itália e muitos outros países da UE exigem que seus fornecedores estejam em conformidade com a IFS. Desse modo, ela cobre todas as variedades de produtos, oferecendo certificação em toda a extensão do processamento de alimentos, exceto produção agrícola primária.


Outro ponto importante no momento da escola do programa de certificação é que o segmento da cadeia de produção de alimentos onde cada um deles é aplicável também tem varia. Na tabela abaixo mostramos os segmentos abrangidos pelos 3 programas de certificação em segurança dos alimentos mais populares (BRC, FSSC e IFS)

 
tabela-global-market
 

Atualmente, no Brasil, o programa com mais organizações certificadas e o FSSC, superando em 3 vezes a quantidade de organizações certificadas em BRC e seguido pela IFS. Isso se deve, provavelmente, a flexibilidade dos requisitos para ser implementados em diferentes segmentos.

Seja qual for o programa de certificação que a organização escolha o benefício principal será, sem dúvidas, alimentos mais seguros para todos os consumidores. Assim, agora você compreende melhor a diferença entre os programas do GFSI. Então aproveite e conheça mais sobre a Segurança dos Alimentos.

 

Patricia Moyano

Formada em Microbiologia pela UNRC na Argentina, e apaixonada pela inocuidade dos alimentos. Diplomada em MBA de Negócios e Empreendedorismo pela UFJF-MG,
Especialista em Segurança de Alimentos e auditora líder FSSC 22000 pela SGS Academy. Possui mais de 8 anos de experiência na gestão da qualidade e segurança dos alimentos.
Patricia Moyano