Skip to main content
Tempo de Leitura: 4 minutos

parceria templum SB

 

Governança da sigla ESG – Saiba exatamente o que significa

Para muitos, o termo “ESG” traz à mente questões ambientais, como mudanças climáticas e escassez de recursos. Estes compõem o elemento ESG, mas a palavra significa muito mais do que isso. O ESG abrange questões sociais, como práticas trabalhistas de uma empresa, gestão de talentos, segurança de produtos e segurança de dados e questões de governança, como diversidade do conselho, remuneração de executivos e ética nos negócios. Mas, como descobrimos há dois anos, há divergências entre as partes interessadas sobre como gerenciar e comunicar e o que o termo significa.

Entendendo o G em ESG

O ”G” é a abreviação de Governança do ESG, e refere-se aos aspectos de governança da tomada de decisão. Isso significa que, desde a formulação da política soberana até a distribuição de direitos e responsabilidades entre os diversos atores da empresa, a governança é parte essencial, incluindo o conselho de administração, a administração, os acionistas e as partes interessadas. 

O objetivo da empresa, o papel e a composição do conselho de administração e a remuneração e supervisão dos principais executivos tornam-se questões centrais na estrutura de governança corporativa da empresa.

O elemento de governança do acrônimo ESG é muitas vezes esquecido quando se analisam os fatores ambientais, sociais e de governança. Ou seja, levando em consideração os riscos climáticos, impactos sociais e outros riscos e oportunidades “E” e “S”. No entanto, é fundamental compreender os riscos e oportunidades de governança na tomada de decisões. Isso porque as más práticas de governança corporativa estão no centro de alguns dos maiores escândalos corporativos.

Escândalos como o uso indevido de dados do Facebook e outros incidentes recentes causaram danos financeiros significativos às empresas envolvidas. Diante dos erros e da crescente conscientização sobre a diversidade global e a desigualdade de renda, a governança corporativa é um componente central do ESG.

O “G” em ESG refere-se aos aspectos de governança da tomada de decisão, desde a tomada de decisão soberana até a alocação de direitos e responsabilidades entre os diferentes atores do negócio. Incluindo o conselho de administração, a administração, os acionistas e as partes interessadas.

Os fatores de governança indicam regras e procedimentos nacionais e corporativos. Além disso, eles permitem que os investidores revisem as práticas de governança apropriadas, assim como revisam os fatores ambientais e sociais. O objetivo da empresa, o papel e a composição do conselho de administração, os direitos dos acionistas e a forma como o desempenho da empresa é medido são os elementos básicos da estrutura de governança corporativa.

A baixa na média em boas práticas de Governança da sigla ESG

Pesquisas recentes mostraram que empresas que estão bem abaixo da média em termos de boas práticas de governança são particularmente propensas à má gestão e arriscam sua capacidade de capitalizar oportunidades de negócios ao longo do tempo.

As visões estão divididas sobre quais interesses devem ser priorizados na tomada de decisões corporativas. Uma visão é que maximizar o retorno financeiro aos acionistas é o objetivo das operações da empresa, enquanto outra visão é que os stakeholders merecem mais atenção e apoio quando se trata de rentabilidade.

Um exemplo desse dinamismo ocorreu em agosto de 2019, quando os CEOs de mais de 180 grandes empresas ao redor do mundo declararam que as empresas deveriam focar em entregar benefícios a todos os stakeholders, bem como lucros aos acionistas. Grupos focados em sustentabilidade então convocam líderes como esses para tomar outras ações que beneficiem clientes, funcionários e comunidades e acionistas.

A diversidade e a equidade de gênero é outra questão de governança de alto perfil, com muitos acionistas institucionais exigindo uma melhor representação das mulheres nos conselhos corporativos e na alta administração, bem como igualdade de remuneração e mobilidade para mulheres e pessoas de cor.

Mais e mais empresas estão enfatizando os benefícios financeiros da criação de um local de trabalho inclusivo em um esforço para aumentar a diversidade e a inclusão.

Além da estrutura e composição do conselho, a remuneração e supervisão do CEO e da alta administração é outro elemento de governança.

Conclusão

Compreender o “G” em ESG é fundamental, pois os riscos e as oportunidades de governança podem aumentar à medida que as atitudes sociais, políticas e culturais continuam a evoluir.

Vale ressaltar que, além de determinar se uma entidade é ativa, gerencia de forma eficaz os riscos e oportunidades de governança que ela enfrenta.A avaliação global de classificações ESG pesa potenciais riscos ambientais e sociais para determinar a capacidade de uma entidade de operar com sucesso.

O SB SEAL ESG garante que sua empresa esteja em consonância com os índices ESG. Os marcos regulatórios, os acordos globais e os critérios avaliados pelos principais investidores são estudados anualmente pela nossa equipe de sustentabilidade. O que garante a medida certa para cada requisito.

Mais do que certificar, a Templum em parceria com o SB Sustainable Business Solutions garante transmissão da informação, acompanhamento do plano de ação de melhoria e relatórios anuais para seu negócio. Entre em contato com nossos agentes para garantir que seu negócio seja certificado em práticas sustentáveis!

©️ Copyright – Templum em parceria com Equipe de Resarch SB Sustainable Business Solutions