Mudança
Everton Hora da Silva
Por Everton Hora da Silva

Gestão da Mudança: Transpondo o paradigma “sempre fiz assim, por que mudar?”

Mudanças? Sempre fiz assim, por que mudar? A maior parte das empresas já vivenciou esse tipo de discurso. As resistências fazem parte da cultura organizacional, inclusive para preservar os processos e práticas que funcionam muito bem, mas, ás vezes, essa resistência cria barreiras para melhorias significativas.


Tempo de Leitura: 2 minutos

A resistência à mudança é um dos maiores desafios na implementação da ISO 9001. Quebrar o tabu, o paradigma do “sempre fiz assim, por que mudar?”.

As mudanças são um dos pontos chave para o sucesso da implementação de qualquer sistema de gestão, o desenvolvimento dos controles, documentos, processos, entre outros, traz junto a necessidade de mudanças nas atividades, rotinas, hábitos e cultura dentro das Organizações.

O mais comum quando a Organização passa por mudanças é encontrar a resistência de alguns colaboradores. Não os culpem, isso é normal do ser humano.

O fato é: O que podemos fazer para quebrar esse tabu? Como ajudar e motivar esses colaboradores? Como lidar com essas situações?

São perguntas frequentes que acabamos fazendo e muitas das vezes não temos uma resposta na ponta da língua. Se me perguntar hoje nesse exato momento: “Everton, qual a resposta para quebrar esse tabu e motivar meus colaboradores a aceitarem as mudanças necessárias?” te responderia: “Boa pergunta!”.

Não existe fórmula mágica, receita infalível ou palestra que vai resolver todos os problemas, mas acredito que há boas práticas que podemos tomar para quebrar este tabu e tornar a mudança acolhida pela organização.


Saiba também: Gestão de Mudanças – Parte 1


Primeiro, já parou para pensar qual a sua relação com seus pares? Como é o canal de comunicação entre vocês? É de duas vias ou somente você fala e eles obedecem? O quanto você, como gestor, tem incluído seus colaboradores nas definições tomadas no setor onde eles atuam? Essas questões seriam as primeiras que você deveria analisar. Bora refletir um pouco sobre isso?

Não podemos apenas definir um novo processo e colocar para o colaborador realizar essa nova sistemática de trabalho, um dos pontos chave para quebrar o tabu é envolver os colaboradores nas definições das mudanças inerentes aos seus processos.

Antes de qualquer definição, peça a opinião deles pois são eles que trabalham diariamente nas atividades, ninguém melhor do que eles para mostrar os pontos que necessitam ser melhorados. Ou seja, são eles que “sentem as dores” de um processo mal definido, um processo produtivo mal balanceado, a espera de um documento causando acúmulo de trabalho, entre outros.

Lembre se que por trás de todo processo existe o ser humano e é importante entender o que se passa com eles dentro da Organização, crie o hábito de ter a empatia para entender o que pode estar acontecendo para ter tanta resistência a mudanças… medo, comodismo, desmotivação, dificuldade de entender o novo processo?

Quer ter colaboradores motivados e abertos a mudanças? Essa é minha dica, envolva eles nas mudanças, façam eles se sentirem importantes pedindo a opinião deles.

Esteja aberto a novos pontos de vistas, passe a eles que toda mudança é passível de melhoria e que a voz deles é importante para atingir essas melhorias.

Sucesso a todos!