ISO 9001 requisitos: 5.3 – Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais

Chegou o momento de fecharmos o requisito 5 – Liderança, para isto iremos abordar o item 5.3 – Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais. Nele veremos na prática como uma empresa pode se tornar mais organizada quando se preocupa em colocar as pessoas corretas nos lugares corretos.

Todos já devem ter ouvido a expressão “muito cacique para pouco índio”. Este dito popular se refere a ambientes onde todos mandam e fazem as coisas da maneira que bem entendem. Pasmem! Infelizmente, existem muitas organizações nesta situação.

Em textos anteriores, citamos que um dos benefícios da ISO 9001:2015 é a abordagem de processos. Vimos como uma organização é feita por processos interligados, onde a saída de um representa a entrada de outro. Porém, caso não esteja claro os papéis, responsabilidades e autoridades está abordagem tende a fracassar.

A abordagem de processos é apenas um exemplo, mas existem outros aspectos que podem prejudicar uma empresa caso as pessoas não estejam alocadas e sabendo suas responsabilidades e autoridades.

Chegou o momento de organizar!

Diante dos problemas levantados, veremos como a ISO 9001:2015 pode auxiliar as organizações.

A norma diz no requisito 5.3:

“A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades para papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização.”

O requisito 5 inicia e termina citando a Alta Direção. Isto é sensacional, pois quebra o paradigma de que o SGQ é coisa do cara chato da qualidade, o RD.

Não existe sistema de gestão da qualidade sem a participação de todos! Quando a liderança da empresa se envolve com a atribuição dos papéis, responsabilidades e autoridades, ela está desenvolvendo uma atividade fundamental que é a de garantir tudo que é necessário para condução de seus processos, no caso os recursos humanos.

Vale destacar que os termos papéis, responsabilidades e autoridades são diferentes e precisam ser entendidos. Isto facilita no momento de gerir as pessoas de uma companhia.

  • Papéis – diz respeito as funções de uma pessoa na organização. Podemos entender também como os cargos.
  • Responsabilidades – está ligado as atribuições do cargo/função. Ou seja, o cargo “X” é responsável por tais atividades e o “Y” por tais.
  • Autoridades – é relativo a autonomia que cada um tem em sua organização, principalmente na tomada de decisão. Por exemplo, um líder de determinado processo tem mais poder de decisão do que o operador de máquinas do cargo x.

Identificar papéis, responsabilidades e autoridades é o primeiro passo para desenvolver um processo de “gestão de gente”. A participação da Alta direção é mais do necessária, pois são eles que tem a visão sistêmica do negócio como um todo. Além disso, eles são os que ditam qual direção estratégica que a organização deve seguir.

A norma complementa dizendo que a Alta Direção deve se incumbir desta tarefa, para:

a) Assegurar que o sistema de gestão da qualidade esteja conforme com os requisitos desta Norma (ABNT NBR ISO 9001:2015);

b) Assegurar que os processos entreguem suas saídas pretendidas;

c) Relatar o desempenho do sistema de gestão da qualidade e as oportunidades para melhoria (ver 10.1), em particular para a Alta Direção;

d) Assegurar a promoção do foco no cliente na organização;

e) Assegurar que a integridade do sistema de gestão da qualidade seja mantida quando forem planejadas e implementadas mudanças no sistema de gestão da qualidade.

Fantástico! Assegurar as pessoas certas nos lugares corretos garante a criação e manutenção de um SGQ em constante aperfeiçoamento.

E na prática?

Este é um item que não exige nenhuma informação documentada. “Como assim? Sem nenhum documento?” Sim, não há nenhuma obrigatoriedade. Entretanto isto não implica que a organização não possa ter uma evidência documentada para atender este requisito.

Aqui na Templum, nós recomendamos que deixe claro quais são os responsáveis por cada processo. Desta maneira, conseguimos assegurar como as pessoas são geridas dentro da organização, levando em consideração os papéis, responsabilidades e autoridades.

Pessoas que conhecem claramente quais são os processos que atuam e quais os resultados esperados que eles estão garantido, conseguem se engajar no funcionamento do SGQ.

Mas, o primeiro passo é organizar os processos de sua organização. Para isto temos um texto sensacional sobre como utilizar a “Tartaruga Turbinada da Templum”, além de disponibilizarmos um modelo para download no texto. Para ver a Tartaruga Turbinada da Templum, clique aqui.

Princípio de Gestão da Qualidade – Engajamento das pessoas

Discursos motivacionais ajudam a engajar seus colaboradores?

Sim, ajudam!

Técnicas de coaching e mentoring ajudam a engajar pessoas?

Claro, isto é muito legal!

Entretanto, o mais importante é organizar sua empresa indicando como cada um coopera para o sucesso da organização e como o papel, responsabilidade e autoridade de cada um está intimamente ligado na garantia da qualidade dos produtos e serviços.

Como disse em textos anteriores, pessoas se engajam em causas que elas acreditam! Para complementar, cada colaborador precisa saber qual é a forma que ele pode contribuir por esta causa e, para isto, nada melhor do que eles terem conhecimento profundo de suas atribuições.

 

Está pronto para atender este requisito? Deixe aqui seu comentário e se gostou do texto não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

Guilherme Alonço

Guilherme Alonço

Um bom conteúdo pode transformar uma empresa! Conteudista da Templum Consultoria e apaixonado por assuntos e notícias que englobam o mundo dos negócios, ajudo empresas a alcançarem seu potencial máximo e enxergarem as melhores oportunidades.
Guilherme Alonço
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *