Cristiana Lima
Por Cristiana Lima

Amostragem de obras na auditoria do PBQP-H

Vamos entender como funciona a amostragem  de obras no processo de auditoria do PBPQ –H. Para que possamos entender melhor, a amostragem varia de acordo com o número de obras que a construtora tiver em andamento no momento de realização da auditoria. Se verificarmos na norma do SIAC, existe uma tabela que pode ajudar a […]


Vamos entender como funciona a amostragem  de obras no processo de auditoria do PBPQ –H.

Para que possamos entender melhor, a amostragem varia de acordo com o número de obras que a construtora tiver em andamento no momento de realização da auditoria.

Se verificarmos na norma do SIAC, existe uma tabela que pode ajudar a nos orientar. Então, vamos entendê-la.

Considerando a tabela do regimento, vamos exemplificar para o caso de uma  construtora com 10 obras em andamento.

De acordo com a tabela, das 10 obras, 4 passarão por auditoria inicial, 2 obras por auditoria de supervisão e 3 por auditoria de recertificação do PBQP-H.

Exemplo de amostragem no PBQP-H

A amostragem da obra deve ser suficiente para cobrir todos os subsetores e escopos abrangidos.

Conforme o regimento do PBQP-H, deve-se garantir no mínimo um dia de auditoria em cada obra amostrada.

Considerando o exemplo acima, na auditoria inicial teríamos no mínimo 4 dias de auditoria, ou seja, um dia para cada obra.

O PBQP-H visa a melhoria e modernização produtiva da habitação no Brasil, por isso é também através da amostragem que se garante o mínimo de obras a serem auditadas garantindo assim a qualidade.