Andrea Duran
Por Andrea Duran

Novos mercados surgem com a PNRS

A falada e nem tão conhecida PNRS, Política Nacional de Resíduos Sólidos,  lei 12.305/2010, que define prazo até agosto de 2014 para que as empresas eliminem totalmente o envio de resíduos sólidos industriais para aterros,  demandará uma gestão adequada dos resíduos gerados, e principalmente uma maior eficiência produtiva. Produzir cada vez mais consumindo cada vez […]


A falada e nem tão conhecida PNRS, Política Nacional de Resíduos Sólidos,  lei 12.305/2010, que define prazo até agosto de 2014 para que as empresas eliminem totalmente o envio de resíduos sólidos industriais para aterros,  demandará uma gestão adequada dos resíduos gerados, e principalmente uma maior eficiência produtiva. Produzir cada vez mais consumindo cada vez menos insumos e matérias primas, focar na redução de aparas, resíduos, e tudo aquilo que não agrega  valor ao produto e gera fontes de contaminação  do solo, ar e água serão os pontos cruciais da gestão das empresas daqui para frente.

As empresas buscarão ferramentas que auxiliem a gestão do processo com foco em requisitos ambientais, entendendo e atendendo a legislação pertinente ao negócio,  definindo indicadores que demonstrem o sucesso das suas ações, através de monitoramento e medição dos seus principais aspectos ambientais. Nesse contexto, a implementação da ISO 14001 vem se tornando o objetivo de várias empresas, incluindo as pequenas e médias, que na ânsia de crescimento, se deparam com a necessidade de comprovar para a sociedade e seus potenciais clientes a sua responsabilidade e comprometimento ambiental.

Outro aspecto importante que demonstra  a consciência ambiental das empresas está no surgimento de empresas na internet focadas no comércio B2B para negociação de resíduos industriais. “Aquilo que é um resíduo para minha empresa pode ser matéria prima para outra”; com esse conceito temos várias empresas atuando na facilitação  do destino  desses resíduos, cadastrando potenciais fornecedores de resíduos e potenciais compradores.

Sem dúvida,  esse novo comércio facilitará muito a vida das empresas, pois cabe ressaltar que aquelas que não se enquadrarem à PNRS estarão sujeitas a multas ambientais que podem chegar até R$ 50 milhões. Vale a pena pesquisar: b2blue.combolsaderesiduos.com.br; entre outras que estão por vir!