Guilherme Alonço
Por Guilherme Alonço

Novas oportunidades para o mercado de construção civil em 2018

Oportunidades surgem todos os dias, mas não são todos que conseguem aproveitá-las! Esta é uma máxima para qualquer empresário, independente do setor em que ele atua. No texto de hoje iremos tratar das oportunidades específicas de um setor: a construção civil. Veremos que em 2018, os construtores têm boas razões para pensar em melhorias e […]


Oportunidades surgem todos os dias, mas não são todos que conseguem aproveitá-las! Esta é uma máxima para qualquer empresário, independente do setor em que ele atua. No texto de hoje iremos tratar das oportunidades específicas de um setor: a construção civil. Veremos que em 2018, os construtores têm boas razões para pensar em melhorias e novos investimentos.

Para quem acompanhou os jornais no ano de 2017, pode presenciar uma certa movimentação para recuperar e aquecer novamente o setor construtivo. Para os empreendedores que investem neste ramo, as perspectivas para 2018 são excelentes! Novos investimentos e subsídios serão liberados para estimular o consumo.

Um outro motivo para acreditar que o novo ano será diferente, consiste no interesse constante do Governo Federal sobre este setor econômico. Este mercado é o principal em consumo e geração de receitas. Com uma cadeia produtiva enorme, ele compreende desde empresas fabricantes de materiais como grandes e pequenas construtoras. Outro atrativo do setor é a principal gerador de vagas de trabalho em todo Brasil.

Diante deste cenário, existem oportunidades reais para alavancar os negócios para as empresas do segmento, que se bem aproveitadas trazem ganhos reais para qualquer construtora.

Durante o texto veremos quais são as oportunidades existentes para 2018. Por último veremos como os empresários podem aproveitar cada chance deste cenário.

Agenda Social do Governo Federal

No final de 2017, o presidente da república anunciou que em 2018 o seu plano de governo teria uma agenda política mais voltada para questões sociais.

Entre os principais focos desta agenda é a volta e fortalecimento de programas de incentivo à moradia e habitação. O principal benefício são que muitas pessoas irão em busca do sonho da casa própria e, consequentemente as oportunidades de desenvolvimento de novos empreendimentos serão latentes.

Entre dois programas que precisam estar no radar dos gestores, estão:

  • O programa Minha Casa Minha Vida
  • O programa Pró-Cotista.

Minha Casa Minha Vida

Este, sem dúvida, é o programa mais conhecido de todas as construtoras, sejam elas pequenas ou grandes!

Importante destacar as mudanças ocasionadas no MCMV. No ano de 2017 novas regras foram criadas para concessão de crédito para os consumidores finais. A faixa 3 do programa, anteriormente compreendia as famílias com renda mensal até R$ 6.500,00, atualmente pessoas com renda até R$ 9000,00 podem participar do programa.

A tabela a seguir mostra os detalhes de cada faixa do programa. São levados em consideração informações, como: renda máxima, taxa de juros e os valores dos subsídios.

Esta ampliação da faixa 3 englobou alguns milhões de novos brasileiros que irão se beneficiar desta linha de financiamento. Uma oportunidade fantástica para as construtoras, que poderão desenvolver empreendimentos voltados para outro público-alvo.

Linha Pró-cotista

Esta linha de financiamento deu início em 2017 com o valor disponibilizado de R$ 6,1 bilhões. Já em 2018 o recurso liberado é de R$ 4 bilhões. Este programa é a linha mais barata para quem não se enquadra nas regras do programa Minha Casa Minha Vida.

As taxas de juros giram entorno de 7,85% a 8,85% ao ano, algo que facilita na aquisição dos imóveis. Além disso, quem conseguir adesão nesta modalidade poderá financiar até 70% do valor total, que pode ser de R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal e R$ 800 mil nos demais estados.

Os que quiserem se enquadrar com o programa e conquistar a casa própria, precisam:

  • Comprovar, no mínimo, 36 meses de trabalho sob o regime do FGTS;
  • Ou possuir saldo em conta vinculada de, no mínimo, 10% do valor da avaliação do imóvel;
  • Comprovar que não são proprietários de imóveis no munícipio (ou região metropolitana) onde moram ou onde trabalham;
  • Não possuir de financiamentos no SFH (Sistema Financeiro da Habitação) em qualquer lugar do país.

Oportunidades existem, mas e você, está preparado?

O planejamento estratégico, sem dúvida é o primeiro passo para aproveitar ao máximo cada oportunidade.

Você sabe qual são os fatores externos e internos que influenciam positivamente ou negativamente sua empresa? Quais são seus os objetivos estratégicos, táticos e operacionais? Qual o direcionamento estratégico de sua empresa? Qual a missão, visão e valores de sua construtora?

Se você não soube responder estas perguntas ou ficou com dúvidas, provavelmente você precise conhecer mais a fundo o seu negócio. Logo, o planejamento estratégico é a tarefa que precisa ser desenvolvida neste início de ano. Empresas que fazem um bom planejamento estratégico estão um passo à frente dos seus concorrentes diretos e indiretos.

Caso queira conhecer mais sobre o assunto, nós temos um workshop online e ao vivo muito bom sobre o assunto. Segue o link para conhecer mais sobre o workshop:

O segundo ponto que merece destaque é a adequação à ABNT NBR 15575.

Trata-se de uma norma desenvolvida para garantir o desempenho e qualidade dos sistemas construtivos. Cada vez mais as construtoras terão que comprovar se seus empreendimentos atendem ou não os requisitos determinados nesta norma.

A ABNT NBR 15575:2013 está baseada em três tipos de requisitos, os quais são:

  • Requisitos de Sustentabilidade – dizem respeito a durabilidade; manutenibilidade; e impacto ambiental;
  • Requisitos de Habitabilidade – compreendem as noções de estanqueidade; desempenho térmico; desempenho acústico; desempenho lumínico; saúde, higiene e qualidade do ar; funcionalidade e acessibilidade; conforto tátil e antropodinâmico;
  • Requisitos de Segurança – abordam as especificações sobre a estrutura do sistema; segurança contra incêndio; e o uso e operação.

Para se adequar a esta norma as construtoras devem atender 100% de todos os requisitos descritos. Nós temos um e-book fantástico com os detalhes da ABNT NBR 15575 e como as construtoras poderão se adequar a todas estas exigências.

E por último e não menos importante, o PBQP-H ainda é o principal diferencial para sua construtora.

A nova versão do PBQP-H/SiAC, publicada no início de janeiro de 2017, já contempla a norma de desempenho. Em outras palavras, para sua empresa se adequar à nova versão do PBQP-H, ela terá que atender aos requisitos do programa mais a ABNT NBR 15575.

É importante destacar que a Templum tem a solução perfeita para quem pretende implementar o PBQP-H! Você pode começar o processo de implementação do PBQP-H agora.

 

Gostou do texto? Deixe aqui seus comentários, dúvidas e sugestões.

 

Fonte jornalísticas sobre a linha pró-cotista:

https://g1.globo.com/economia/noticia/caixa-reabre-linha-de-credito-com-recursos-do-fgts-e-eleva-para-70-cota-de-financiamento-para-imovel-usado.ghtml

http://economia.estadao.com.br/blogs/radar-imobiliario/caixa-reabre-linha-de-financiamento-imobiliario-mais-barata/

Guilherme Alonço

Guilherme Alonço

Um bom conteúdo pode transformar uma empresa! Conteudista da Templum Consultoria e apaixonado por assuntos e notícias que englobam o mundo dos negócios, ajudo empresas a alcançarem seu potencial máximo e enxergarem as melhores oportunidades.
Guilherme Alonço