Daniela Albuquerque
Por Daniela Albuquerque

Você sabe o que seu funcionário faz?

Administrar capital humano hoje é grande chave do mundo empresarial. Todos sabemos que somente com pessoas competentes e com equipes bem estruturadas poderemos enfrentar as mudanças que ocorrem no cenário empresarial e sermos competitivos dentro do mercado. E é nesse cenário que começamos a pensar nas tarefas desempenhadas pelos nossos colaboradores. Como podemos saber o […]


Administrar capital humano hoje é grande chave do mundo empresarial. Todos sabemos que somente com pessoas competentes e com equipes bem estruturadas poderemos enfrentar as mudanças que ocorrem no cenário empresarial e sermos competitivos dentro do mercado.

E é nesse cenário que começamos a pensar nas tarefas desempenhadas pelos nossos colaboradores. Como podemos saber o grau de desempenho de cada um e o resultado real entregue pela sua equipe?

Essa pergunta tem uma resposta muito difícil e ainda muitos dirão que é quase intangível. Será?

Na verdade a resposta é que temos sim como medir o resultado entregue por todos da empresa, mas o que normalmente acontece nas empresas é um comportamento que indico como Transferência de Culpa, ou seja, para tudo o que acontece existe uma desculpa com transferência de culpa para outra pessoa ou situação. Quem nunca ouviu essa frase: eu não entreguei tal resultado porque outra pessoa não fez a sua parte.

A questão é que esse problema começa com a Alta Direção e com 02 pontos muito fortes de preocupação.

O primeiro é que o ambiente competitivo entre as empresas fez que elas se esquecessem de um dos principais ingredientes para o sucesso de qualquer organização, que são os seus valores e isso traz um prejuízo enorme para o clima da organização porque falta identificação e se falta isso, o comprometimento não aparecerá.

O segundo ponto é a falta de direção. É sabido que uma equipe voltada para o desempenho deve ser direcionada para a realização de uma tarefa e uma meta, mas não é raro quando tarefas, metas e necessidades mudam facilmente de prioridade, deixando a equipe desnorteada e descrente da organização. Não se comprometerão com algo que pode mudar rapidamente. É perda de tempo.

As equipes focadas em resultado possuem alto grau de interdependência dos componentes, são direcionadas para a realização de uma meta ou tarefa. As pessoas então concordam que a única maneira de atingi-la é trabalhar em conjunto e a diversidade de recursos humanos possibilita o desempenho de tarefas complexas com segurança e com mais chances de sucesso.

Mas assim como falamos anteriormente, essa não é uma tarefa fácil, justamente pelo fato da necessidade de estabelecermos um processo de mudança que passa pelas seguintes etapas:

  • Estabeleça o objetivo central da sua organização. Você pode fazer isso com o que chamamos de Declarações Institucionais (Missão, Visão e Valores);
  • Divulgue com exaustão a identidade da sua empresa para equipe, clientes, parceiros e fornecedores e viva essa identidade;
  • Conheça a sua equipe, entenda o ponto forte de cada colaborador e elabore um mapa com as competências existentes e aquelas que faltam. Elabore um plano de treinamento para atingir as competências que faltam na sua equipe;
  • Elabore um mapeamento dos processos da sua organização, indique o objetivo de cada processo e estabeleça responsáveis por cada um deles;
  • Estabeleça metas para o cumprimento das ações e crie métricas para acompanhar o que está sendo realizado;
  • Cobre resultados baseados nos objetivos estabelecidos
  • E por fim, remunere adequadamente o resultado positivo.

Uma boa estratégia para conseguir reunir todos esses pontos indicados é a implementação de sistemas de gestão, como a ISO 9001 que lhe fornecerá subsídios e a base necessária para enfrentar essa transformação necessária em sua organização.

Seguindo esse caminho, você não precisará mais se preocupar com o resultado entregue pela sua equipe. É importante saber que a criação dessas etapas deve estar alinhada à gestão estratégica da organização, ou seja, a sua empresa deve estar preparada para fornecer esse tipo de autonomia e responsabilidade, pois caso contrário o resultado pode ser inverso ao esperado.

Sendo assim, faça uma análise da estrutura da sua organização e o quanto falta para chegar ao ponto de poder contar com esse tipo de situação e elabore um planejamento para chegar a esse objetivo. Tenha certeza que o gerenciamento de um capital humano com alto desempenho pode ser não ser fácil, mas o resultado da sua organização será muito maior.

Pense nisso e bom trabalho!

Daniela Albuquerque

Daniela Albuquerque

Sócia e Especialista Chave em Templum Consultoria
Por ser apaixonada por qualidade e melhoria contínua de negócios e pessoas sou a Sócia Responsável pelo Sucesso do Cliente na Templum por meio de mentoria e treinamento interno das equipes de consultores e atendimento ao cliente e da elaboração de produtos, treinamentos e conteúdos que permitem o fortalecimento das empresas.
Formada em Comunicação Social, MBA em Gestão de Negócios e especialista em Sistemas de Gestão Integrada.
Daniela Albuquerque