Skip to main content
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Esta é uma questão bem interessante, tivemos alguns questionamentos e interpretações divergentes de vários empresários que estão implantando a ISO 9001:2008  a respeito do item 6.2.2 – Competência, treinamento e conscientização, pois na maioria das vezes o empresário acredita que para conseguir adequar a sua empresa neste item é necessário montar um plano “gigante” cheio de treinamentos caros, imediatos e extensos e não é bem assim que o item deve ser interpretado.

É claro que toda empresa terá de analisar e estabelecer quais competências (habilidades, conhecimentos) são necessárias para cada pessoa que executa algum tipo de trabalho que poderia afetar a conformidade do produto/ serviço oferecido e garantir que todas estas pessoas tenham ou atinjam esta competência necessária. Mas isso em hipótese alguma significa que a pessoa precisa ser “metralhada” de treinamentos, ou seja, o que importa não é a quantidade de treinamentos realizados e sim realizar treinamentos corretos e avaliar a sua eficácia, procurando desenvolvimento e crescimento das pessoas dentro da organização, assim todo mundo ganha.  Para quem também tem esta dúvida e está trabalhando num programa de treinamentos na sua empresa, vão algumas dicas:

1 – A melhor forma de se fazer isso é determinar as competências (Habilidades, Conhecimentos) necessárias para cada função e registrá-las;
2 – Utilizar–se de uma boa sistemática de avaliação de competência para avaliar se as pessoas estão realmente no nível de competência necessário para a realização do processo;
3 – E caso não esteja no nível de competência desejado pela empresa, um plano de treinamentos deve ser traçado, contendo treinamentos chaves, que terão como objetivo desenvolver as habilidades e conhecimentos que não estão 100%.

E lembre-se, não é necessário aplicar todos os treinamentos de uma só vez, o plano pode ser traçado e as datas para realização planejadas ao longo do ano.

Igor Furniel

Igor Furniel

CEO da Templum Consultoria