Skip to main content

Copa 2014: hora de investir

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O mapeamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) traz expectativas de crescimento da economia brasileira com o Mundial de Futebol de 2014, que se estende também ás micro e pequenas empresas. Esse mapeamento aponta que na área de construção civil, tecnologia da informação, turismo e produção associada, 448 oportunidades de negócios serão geradas nas 12 cidades-sede da Copa. No total, elas devem movimentar cerca de R$ 30 bilhões de tudo o que for produzido no país até a data em que os jogos terminarem.

Segundo o presidente do SEBRAE Nacional, Luiz Barretto, o investimento deve começar agora. Mas renderá insumos de crescimento durante e após o evento. Para se inserir neste mercado competitivo, os empresários precisarão se adequar aos requisitos de contratação. Além do básico como o alvará de funcionamento, nota fiscal e certificações negativas de débitos, eles terão de se adequar ao novo momento da sustentabilidade.

A FIFA fixou as “Metas Verdes” ( “Green Goals”) que visa a redução do consumo de água e energia, aumento da utilização dos transportes públicos, eliminação de resíduos, e uso de materiais sustentáveis principalmente nas diversas obras de construção.

Quem quiser uma parte dos lucros da Copa terá que possuir certificações ambientais como a ISO 14001 ou com foco em construção como Leed e Acqua.

 

Daniela Albuquerque

Diretora Técnica na Templum Consultoria