Jonathan Reis
Por Jonathan Reis

Motivação com foco em resultados

Ter os colaboradores motivados é um dos objetivos de todo empresário ou gestor de equipe. As pessoas precisam estar motivadas para trabalhar sem interferências e alcançar a maior produtividade possível.


Queremos, através desse post, evidenciar estratégias simples e práticas que funcionam no dia-a-dia principalmente das pequenas empresas.

Mas antes vamos colocar uma pitada de teoria em nossa receita para podermos entender o conceito.

O que motiva alguém?

Ouvimos diariamente histórias de pessoas que surgiram do anonimato e ficaram em evidência em seu campo de atuação.

Ou mesmo sabemos que muitos anônimos se motivam todos os dias, enfrentam situações adversas, como distância, cansaço, deficiências, falta de recursos e outros – e, ainda assim, superam tudo de forma louvável.

O que as impulsiona? Quais os motivos? Será somente a garantia de sua sobrevivência?

Algumas pessoas até conseguem alcançar objetivos, mas os enxergam como um fardo ou algo desgostoso de se fazer e viver. Outras, diferentemente, respondem com um largo sorriso nos lábios.

A motivação é a razão (motivo) para um comportamento

A motivação é a razão (motivo) para um comportamento

Após a identificação da necessidade e o nascimento do motivo, o sujeito é estimulado à ação, para que busque uma solução ao problema ocorrido.

O estudo das motivações se dá através da observação do comportamento humano que é o resultado de suas necessidades.

Necessidades

Biogênicas: são as necessidades fisiológicas como alimento, ar, água, abrigo.

Psicogênicas: são necessidades aprendidas no processo de se tornar membro de uma cultura ou sociedade, como status e reconhecimento, por exemplo.

O psicólogo Abraham Maslow foi o pioneiro no estudo da motivação humana. Maslow realizou experimentos científicos com centenas de voluntários. Segundo seus estudos, as necessidades obedecem uma hierarquia, começando pelas biogênicas para depois chegar nas psicogênicas.

Pirâmide de Maslow

Boas práticas

Depois da teoria, vamos abordar algumas das muitas boas práticas utilizadas pelas empresas para motivar seus colaboradores rumo à obtenção de resultados positivos.

Partindo do pressuposto das necessidades fisiológicas, as organizações precisam sair um pouco do casulo no que tange ao cumprimento apenas da CLT.

Exemplos: fornecer horários flexíveis aos colaboradores e, mais do que isso, fornecer vale refeição/alimentação que os possibilitem fazer suas refeições sem levar prejuízo no fim do mês – e, acredite, isso acontece muito!

Ainda no assunto alimentação, uma boa ideia é ter a possibilidade de uma cozinha para os colaboradores fazerem as refeições com tranquilidade e até mesmo levar a comida de casa – quando isso for possível, é claro.

E quem nunca gostou de aproveitar o tempinho restante do horário do almoço para ler um livro ou tirar um cochilo? Aí está mais uma boa prática – reservar um espaço para esse momento.

Nunca deixe faltar água e café e surpreenda com pequenos gestos de vez em quando. Um almoço ou um momento para um lanche oferecidos pela empresa são atitudes simples que podem fazer muita diferença.

É importante tentar aproveitar ao máximo a capacidade da equipe no horário de trabalho. Evite fazer os colaboradores trabalharem fora do horário proposto – isso pode causar desconforto e insatisfação (além de possíveis problemas trabalhistas)!

Um exemplo bem interessante é da Elektro, considerada uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil.

Marcio Fernandes, o presidente da empresa, estabeleceu o bloqueio automático de todos os computadores no fim do expediente. Assim sendo, ninguém fica até mais tarde, nem mesmo o presidente.

Benefícios como plano de saúde e vale transporte, ou ainda ajuda no combustível, também são muito importantes.

Abaixo temos um trecho muito interessante do post Comportamentos que geram resultados, escrito pelo diretor-executivo da Templum Consultoria Online, Igor Furniel.

Ouse no ambiente de trabalho

Com toda certeza todos já ouviram falar nos super escritórios do Google, da Microsoft, do Facebook, da Zappos… Mas ainda há quem pense que isso é coisa de empresa rica. Não, isso é coisa de empresa inteligente!

Converse com seus funcionários, identifique o que eles gostariam de ter no ambiente de trabalho, certamente você descobrirá que a maior parte das ideias é simples e barata.

Aí vão algumas dicas para transformar o ambiente de trabalho em algo que reprograma comportamentos:

  • Tenha uma sala de descanso bacana;
  • Compre um videogame de última geração;
  • Instale uma mesa de sinuca, pebolim, ping-pong, ou algo do tipo;
  • Contrate manicures, massagistas ou fisioterapeutas uma vez por semana;
  • Permita que personalizem a área de trabalho;
  • Instale geladeiras/frigobar e forneça pequenos lanches, petiscos.

Estas ações atuam fortemente no consciente e subconsciente de todos, que passam a se preocupar mais com os resultados e, em função disso, alterarão seus comportamentos.

Acredite, todos querem o melhor e lutarão bravamente para manter as conquistas. Chegou a hora de fazer valer o grande jargão que diz que os funcionários são o bem mais valioso da organização ou, ainda, que eles passam mais tempo na empresa do que em suas próprias casas ou famílias!

Segurança no trabalho também é importante

Falar de segurança não é nossa prioridade aqui, afinal todos querem um ambiente de trabalho que transmita segurança.

Primeiro segurança do corpo nas atividades – e isso hoje é requisito legal para as empresas e pode ser aprimorado através da norma OSHAS 18001.

Além disso, os colaboradores não querem trabalhar inseguros com os chamados “facões” que sempre aterrorizam muitos e também querem a segurança de não sofrer bullying ou qualquer tipo de assédio no trabalho.

As pessoas se sentem bem quando sentem preocupação com seus relacionamentos! Momentos como a chegada de um bebê, o sonhado casamento, a formatura de um filho e outros não podem passar em branco! E também momentos de dificuldades como doença, problemas com drogas e álcool na família ou até morte precisam dessa atenção e apoio da equipe gestora.

Eu sempre digo que um colaborador trabalhando doente ou com problemas e preocupações rende muito menos. Por conta disso, para a empresa é melhor dar ao funcionário uma dispensa de um dia ou mais do que ter maiores problemas no futuro.

Também é importante se preocupar com os sonhos e objetivos pessoais de seus colaboradores, não somente em questões materiais – as pessoas têm sonhos profissionais, pessoais e acadêmicos.

Esta é uma informação muito valiosa e que pode auxiliar a realocar recursos humanos com transferências de áreas na empresa e também a premiá-los em dinheiro e com capacitação!

Estima e realização pessoal

Para finalizar não poderíamos deixar de falar em estima e realização pessoal, que são os dois últimos níveis de nossa pirâmide.

A estima é trabalhada principalmente através da confiança e do respeito conquistado. O colaborador precisa sentir que não está sendo supervisionado 24 horas e que a liderança confia em seu trabalho. Quem trabalha sobre constante supervisão dificilmente resolverá problemas sozinho.

A compreensão do colaborador de sua importância na equipe, por mais simples que seja o cargo, também é um dos grandes desafios da organização. Quando ele compreende e começa a agir em função dessa importância, buscando os objetivos propostos e com base nos valores da empresa, alcança resultados surpreendentes.

Uma prática muito positiva que presenciei em uma empresa na qual trabalhei é promover um prêmio mensal com base em votação de todos os colaboradores – todo mundo vota, sendo proibido o voto em si mesmo! O colaborador utiliza o senso de justiça para eleger o companheiro de trabalho mais eficiente ou comprometido naquele mês.

A remuneração variável deve ser desafiadora e causar no colaborador sentimento de dono, fazendo-o entregar seu melhor pela causa a ele proposta.

Para finalizar, gostaria de citar duas frases de Carlos Ghosn, brasileiro nascido em Rondônia e reconhecido e admirado no Japão por salvar a montadora Nissan e torná-la a 2ª maior do Japão, além de se tornar o executivo com o maior salário do país e ser um dos 100 brasileiros mais influentes do mundo:

As pessoas estão prontas para fazer o que for necessário para salvar a empresa, mas elas também querem um pouco de esperança para o futuro. E se você não dá,  então vai ter pouca motivação para implementar de um jeito sério e rápido à reestruturação necessária.

Sempre a solução está dentro da empresa. Se eles não acharam é porque realmente o quadro para encontrar a solução não foi bem feito.