tecnologia-na-contabilidade
Amanda Oliveira
Por Amanda Oliveira

Como não deixar a tecnologia acabar com seu escritório de contabilidade

É oficial: chegamos na época em que a tecnologia ameaça empregos e empresas.


Você, contador, que se formou na faculdade com todo o empenho e esforço necessários, que há anos vem exercendo seu papel com excelência e cultiva clientes fieis, deve estar vendo a movimentação no mercado e se perguntando o quanto será afetado.

Se ainda não percebeu, recomendo fortemente que faça uma breve pesquisa sobre como a tecnologia está mudando a realidade dos escritórios de contabilidade.

Neste post, você vai ver:

  1. Mudanças para o bem ou para o mal?
  2. Como se diferenciar em meio à concorrência?
  3. Como utilizar a tecnologia ao seu favor
  4. Qual é a saída?
  5. Como entregar mais valor para o seu cliente?

Mudanças para o bem ou para o mal?

Toda mudança traz consigo questões boas e ruins. A verdade é que depende muito de como os envolvidos vão recebê-la e lidar com ela, podendo ser um risco ou uma oportunidade.

De uma maneira geral, os contadores sempre foram vistos pelos seus clientes como um “mal necessário”, aquele fornecedor que você tinha que ter para manter suas questões fiscais e tributárias em dia, mas que, se pudesse escolher, na verdade não o teria.

Arrisco dizer que este pensamento continuará existindo e avançando ao mesmo passo da tecnologia caso alguns comportamentos – os quais vou aprofundar logo abaixo no texto – não mudem.

Para dar embasamento a este artigo, trago o seguinte desafio:

Pesquise no Google a frase “profissões que irão desaparecer nos próximos anos” e tente encontrar 3 listas que não contenham contador como uma das relacionadas.

Se você tem se mantido por dentro das notícias do seu próprio mercado, isso não será novidade pra você. Agora, se você continua operando seu negócio como o escritório que faz não vai além das obrigações, prepara as guias e as entrega ao seu cliente, talvez encontre surpresas não muito agradáveis nessa pesquisa.

O motivo desse prognóstico? Não é novidade para ninguém que as máquinas e os robôs estão cada vez mais desenvolvidos e habilitados para executarem atividades que até então eram feitas por nós, seres humanos.

Pois é, essa realidade chegou na contabilidade e hoje alguns softwares específicos já são utilizados para: integrar informações dos clientes automaticamente como extratos, notas fiscais e demais lançamentos, etc.

Essa tecnologia é capaz de gerar um certo desconforto quando mostra que veio para democratizar os serviços operacionais dos escritórios de contabilidade, fazendo com que todos tenham acesso ao mesmo nível de informação e consigam realizar suas tarefas diárias de forma que o esforço humano exigido por elas seja cada vez menor. O resultado disso tudo você já deve ter vivido:

  • Briga de preços;
  • Desvalorização do profissional de contabilidade;
  • Concorrência desleal;
  • Cliente inadimplente, e por aí vai…

Se você já se pegou em algum destes cenários, aqui você entende o porquê: quando todos têm acesso às mesmas informações e consequentemente conseguem desenvolver o mesmo trabalho, o cliente vai buscar preço, já que não vê valor no serviço.

Se seu vizinho cobra um décimo mais barato do que você e é capaz de entregar o mesmo resultado, o cliente vai te trocar por ele. É simples assim.

Então, como se diferenciar em meio à concorrência?

Para responder a esta pergunta, os convido a fazer uma reflexão. A tecnologia só usa informações que são, de alguma forma, geradas por pessoas.

Nesse contexto, ninguém melhor do que o próprio escritório para gerar essas informações aos softwares. O que eu quero é deixar claro que você não precisa ser inimigo da tecnologia na contabilidade para mostrar que se importa com o futuro da sua profissão. Vocês podem ser aliados.

Não deixe seu escritório contábil morrer

Saiba como perpetuar seu escritório de contabilidade


Não

Como usar a tecnologia ao seu favor

É comum ver sempre a mesma coisa na lista de profissões que vão “morrer” nos próximos anos. O motivo é simples: quando a tecnologia avança ao ponto de executar uma atividade melhor do que o ser humano, ela tende a “engolir” aquela ocupação.

No entanto, o que a tecnologia nunca consegue é pensar sozinha em novas formas de agregar valor aos usuários. Sempre é preciso ter alguém que possua informações relevantes para alimentá-la, o que também envolve a tecnologia na contabilidade.

E se tem alguém para fazer isso, é sinal de que esses dados estão passando pelas mãos dessas pessoas. Aí é que está o pulo do gato: adivinha quem é o maior detentor de informações dos seus clientes? Isso aí! É você mesmo!

Qual é a saída?

A saída deste cenário de guerra onde você nunca sabe se vai receber seu próximo honorário, é passar por uma porta que você tem livre acesso. Basta começar a caminhar em direção a ela.

Invista um pouco do seu tempo em análise de relatórios, se imagine no lugar do cliente e defina o que você faria para melhorar aquela empresa se ela fosse sua, faça um plano de ação. Busque especialização em novos cursos se sentir necessidade.

Dessa forma, o tempo que antes era gasto com muito trabalho de pouco valor agregado, pode e deve passar a ser usado para pensar em estratégias que ajudem o seu cliente na gestão da empresa dele e que proporcione crescimento, utilizando aquelas informações que você tem acesso todos os dias.

Como entregar mais valor para o seu cliente?

Sabe o planejamento estratégico que você faz no seu escritório? Transforme em produto, venda ao seu cliente e o ensine a fazer! Está vendo que determinada empresa está mantendo custos desnecessários que impactam no capital de giro e ainda geram impostos altíssimos sobre eles? Analise, pense numa solução e apresente ao cliente!

Isso tem um nome que é bem provável que você já tenha visto por aí: contabilidade consultiva.

Chegamos na época em que os empresários precisam confiar sua empresa a alguém que seja um parceiro estratégico de negócio, que pense em soluções de como ele pode deixar de perder e começar a ganhar mais.

Cada vez mais esses empresários – sejam eles de qualquer porte – estão precisando se ancorar em alguém que entenda sua realidade e que dedique tempo para pensar em soluções que vão facilitar sua vida.

Você já tem um processo estruturado para fazer isso de forma organizada? Se não tem, está na hora de elaborar um. Fazendo isso, é garantido: vocês construirão um relacionamento longo e consistente, que nem a mais avançada tecnologia do mundo vai ameaçar.

E você, já aplica essas dicas no seu escritório? Deixe um comentário!

Amanda Oliveira

Amanda Oliveira

Sou Tecnóloga em Marketing e atuo na área de outbound marketing da Templum, conectando empresas com soluções ideais para o seu crescimento e fortalecimento. Uma das minhas paixões é transmitir informações úteis e relevantes através da comunicação, seja ela falada ou escrita
Amanda Oliveira