Tempo de Leitura: 2 minutos

Todos acidentes de trabalho geram custos a mais, que podem impactar tanto o fluxo de caixa de uma empresa, como sua reputação perante a sociedade. Esses custos são divididos entre custos diretos e custos indiretos.

Custos diretos de acidentes de trabalho

  • Todas as despesas ligadas diretamente ao atendimento do acidentado, que não de responsabilidade do INSS, despesas médicas, odontológicas, hospitalares, farmacêuticas – incluída cirurgia reparadora.
  •  Após a alta, caso tenha ficado com alguma redução laborativa, receberá um auxílio acidente.
  • Despesas de reabilitação médica e ocupacional.
  • Transporte do acidentado durante o tratamento quando o estado crítico exigir
  • Seguro de acidente

Custos indiretos de acidentes de trabalho

  • Salários pagos durante o tempo perdido por outros trabalhadores que não o acidentado.
  • Após o acidente há sempre um período onde os companheiros param para socorrê-lo, comentar o ocorrido ou prescindem da ajuda do acidentado.
  • Há também a hipótese da máquina que operavam ficar danificada no acidente.
  •  Acidentes sem perda de tempo, quando o acidente recebe o tratamento na própria empresa.
  • Tempo de ida e volta ao ambulatório médico, tempo de espera para atendimento, tempo gasto em curativos.
  • Salários adicionais pagos por trabalhos em horas extras
  • Em virtude do acidente, atrasos na produção ou serviços urgentes de reparo ou por substituição de equipamento envolvido no acidente, podem interagir trabalhos em horários extraordinários.
  • Salários pagos a supervisores durante o tempo dispendido em atividades decorrentes do acidente.
  • O supervisor enquanto está tomando providências para normalizar o trabalho após o acidente, deixa de empregar o seu tempo produtivamente em planejamento, treinamento de trabalhadores sob sua supervisão, etc.
  • Salários pagos a funcionários durante o tempo gasto na investigação do acidente.
  • Preenchimento de formulários e processamento de documentos.

[Post] ISO 45001: Ações que ajudam a evitar acidentes no local de trabalho

Os custos indiretos de acidentes de trabalho não param por aí…

  • Diminuição da eficiência do acidentado ao retornar ao trabalho.
  • Normalmente, o funcionário ao retornar, produz menos (por receio de sofrer novo acidente, por desambientação, por falta de condicionamento físico, etc). A empresa está pagando o mesmo salário para o trabalhador produzir menos que na prática representa um custo adicional de salário.
  • Despesas com o treinamento do substituto do acidentado.
  • Geralmente no período de treinamento o substituto produz menos que o normal. Além disso, existe os salários pagos aos supervisores ou outras pessoas no treinamento do substituto.
  • Custo do material ou equipamento danificado no acidente
  • Custo de reposição ou substituição deve ser computado neste item.
  • Despesas médicas não cobertas pela entidade seguradora.
  • Nos ambulatórios da empresa, despesas com o pessoal médico, enfermeiras, medicamentos e instrumental, etc.
  • Outros (aluguel de equipamento, multas contratuais, custo de admissão de novos empregados, dificuldades com as autoridades e má fama para a empresa).
  • Além dos gastos com possíveis processos judiciais e indenizações  e possibilidade de denegrir a imagem da empresa.

Percebemos então que os custos indiretos além de corresponderem pela maior parcela do custo em alguns casos esse custo  pode ser imensurável.

O que vale mais a pena?

Arcar com esses custos ou investir na PREVENÇÃO?

Interessado em implementar a ISO 45001, mas não sabe por onde começar? A Templum pode ajudar!

Daniela Albuquerque

Daniela Albuquerque

Diretora Técnica na Templum Consultoria